quinta-feira, 25 de agosto de 2011

CRUX – O FÍSICO E O ETÉREO...


Constelação Cruzeiro do Sul

O homem tende a dividir o céu em regiões que lhe permitem melhor se guiar durante as navegações. Junte-se a isso a tendência de criar mitos e associar figuras com deuses e personagens da mitologia e terenos as constelações delimitando formas dos mais diversos deuses, heróis e figuras mitológicas...
Os índios também vêem o céu divididos em constelações.

Quando olhamos para o Céu vemos o Cruzeiro do Sul. O nome científico da Constelação do Cruzeiro do Sul, tão fundamental na História do Brasil, é Constelação Crux. Sabemos que ele aponta o Pólo Sul, nos orienta durante a noite. Se a estrela mais brilhante do eixo maior aponta o Sul, a estrela da outra ponta desse eixo nos indica o Norte. O eixo menor nos mostra o Leste e o Oeste.

As direções dos braços da cruz unem a Terra ao Céu: o Oriente ao Ocidente através do eixo Leste/ Oeste e o Hemisfério Norte ao Hemisfério Sul através do eixo Norte / Sul celeste, isto é, através de seus braços une todo o planeta e o liga ao Céu.

O sinal da Cruz. O mesmo que Jesus escolheu para si, para representá-lo entre nós durante a passagem do Tempo. Por quê? Por que a cruz é o sinal do cristianismo? Porque o cristianismo pede a união entre todos, sem distinção de raça, classe ou sexo através do Amor.

Existe um ponto, o ponto central da cruz, onde as quatro direções se encontram, se unem. E essa é a natureza do amor: unir. Então a cruz é o símbolo do Amor. É também uma função de síntese, já que em seu símbolo se unem o Céu e a Terra, o Norte e o Sul, o Leste e o Oeste, o físico e o etéreo.
 

DINO KRASPEDON

Dino Kraspedon

Uma jóia rara da ufologia brasileira, este vídeodocumentário é composto por uma esclarecedora entrevista de Oswaldo de Oliveira Pedrosa – cujo pseudônimo é Dino Kraspedon – onde relata seus diálogos com o comandante de uma nave interestelar.

Reconhecido como um dos casos mais importantes da ufologia mundial, Kraspedon foi contatado por um ser de Ganimedes que lhe passou importantes informações sobre a vida terrestre, energia, gravidade, antimatéria, astronavegação etc.

O comandante – um ser alto e vestido de preto – logo de início transmitiu a seguinte mensagem: “Irmãos, não tenham medo. Não é preciso ter medo algum porque nós somos seus amigos. Estamos aqui na Terra para ajudá-los…”

Já na década de 50, seu Livro “Contato com os Discos Voadores" (Editora São Paulo-1957) foi traduzido em inúmeros países. A versão russa foi a primeira. (faça download do ebook aqui)
O livro foi proibido no Brasil por muitos anos por apresentar “conotações políticas” e por suas inusitadas descobertas ufológicas e planetárias.

No documentário, Dino Kraspedon fala de sua vida e faz revelações ainda mais assustadoras sobre o seu contato. Com aproximadamente 100 minutos de duração, “Dino Kraspedon – Quem é esse Homem”, tem apresentação e coordenação de Suely Braz Costa. (http://www.escritorabrasileira.com/).

Veja abaixo parte deste documentário.


CAMILLE FLAMMARION


Flammarion: "Aquele que leva a luz".
Nicolas Camille Flammarion
"O corpo passa. A alma vive no infinito e na eternidade."
(Flammarion, 1923)

Nicolas Camille Flammarion nasceu em Montigny-Le-Roy, França, no dia 26 de fevereiro de 1842, e desencarnado em Juvisy no mesmo país, a 3 de junho de 1925.
Camille Flammarion - o explorador e o revelador dos céus - foi quem popularizou a Astronomia. E foi sem dúvida alguma, um desses espíritos que, de quando em vez, reencarnam em nosso orbe, a fim de auxiliar seus irmãos em experiência a darem mais um passo rumo ao infinito.

Mas, no seu caso, temos mais alguma coisa a acrescentar: ele fazia parte, também, do mesmo grupo de espíritos a que integrava Allan Kardec e, por isso, sua vinda à Terra se deu à mesma época em que viera o mestre lionês, a fim de tomar parte, aqui, da equipe da Terceira Revelação liderada por ele, desempenhando tarefa definida no campo da astronomia. Eis porque no seu trabalho, notadamente no que versa sobre a Uranografia Geral, procurou demonstrar que Deus não criou mundos somente para servir de habitat a outras criaturas que passam por eles, na trajetória infinita de sua evolução.

Na beira do túmulo de Kardec, quando o mestre baixava à sepultura, Flammarion proferiu o célebre discurso, que está inserido no livro "Obras Póstumas", exaltando a figura incomparável daquele que legara à posteridade a consoladora Doutrina ditada pelos Espíritos, pronunciando, na oportunidade, a conhecida frase: "Ele, porém, era o que eu denominarei simplesmente O BOM SENSO ENCARNADO".

QUESTÃO 85


LIVRO O CONSOLADOR
As primeiras formas planetárias obedeceram a um molde especial preexistente?



Jesus foi o divino escultor da obra geológica do planeta. Junto de seus prepostos, iluminou a sombra dos princípios com os eflúvios sublimados do seu amor, que saturaram todas as substâncias do mundo em formação.

Não podemos afirmar que as formas da Natureza, em sua manifestação inicial, obedecessem a um molde preexistente, no sentido de imitação, porque todas elas receberam o influxo sagrado do coração do Cristo.

A verdade é que, assim como as vossas construções materiais, todas as obras viveram previamente no cérebro de um engenheiro ou de um arquiteto, todas as formas de vida na Terra foram primeiramente concebidas na sua visão divina.

"O UNIVERSO É OBRA INTELIGENTÍSSIMA"


video

POESIA : DEUS - EURÍPEDES BARSANULFO

VOZ DE: COSTA, SUELY BRAZ